//Habitação em São Paulo

Habitação em São Paulo

O incêndio e desabamento do Edifício Wilton Paes de Almeida no Largo Paissandu é mais um reflexo do agravamento da desigualdade social e espacial que aflige nossa cidade.

Desde o fim dos anos 1990, movimentos sociais de moradia fazem ocupações de edifícios vazios no centro, expondo a contradição entre os altos índices de déficit habitacional e de imóveis ociosos.

As ocupações visam pressionar o poder público a promover habitação social em localização privilegiada com infraestrutura urbana na tentativa de reverter a lógica de habitação que relega as classes trabalhadoras ao espaço periférico. São uma estratégia de resistência e reivindicação de visibilidade que questionam a especulação imobiliária, o descumprimento da função social da propriedade e a prevalência do direito à propriedade sobre o direito à moradia.

Este caso não deve ser tratado como individual e isolado. A ocupação não é uma opção pela irregularidade mas uma dimensão de vulnerabilidade. Coloca em questão qual é a cidade que queremos e o lugar da população de baixa renda nessa cidade.

A criminalização das ocupações e dos movimentos sociais, a culpabilização das vítimas e a isenção de responsabilidade do poder público escancaram e aprofundam a desigualdade de acesso a direitos. Que essa tragédia alerte a urgência de políticas públicas de acesso à moradia digna para todas e todos.

O gráfico da imagem mostra o déficit habitacional e o número de domicílios vagos em condições de serem ocupados e em construção na zona urbana no país e em São Paulo. Os números revelam a complexidade da questão e podem ser encontrados em publicação recente da Fundação João Pinheiro com dados referentes a 2015.

http://www.fjp.mg.gov.br/index.php/docman/direi-2018/estatistica-e-informacoes/797-6-serie-estatistica-e-informacoes-deficit-habitacional-no-brasil-2015/file

*Post redigido pela colaboradora Ivy Moraes, mestre em Administração Pública pela FGV-SP, que estudou locação social na cidade de São Paulo.

Posto originalmente publicado em: https://www.facebook.com/faz.diferenca.br/photos/a.633682643498440.1073741826.612166458983392/824422057757830/?type=3&theater