//Efeitos sobre pobreza e desigualdade

Efeitos sobre pobreza e desigualdade

Faz Diferença o Bolsa Família? Analisando as repercussões dos 15 anos do mais famoso programa social brasileiro

Embora tenha efeitos positivos em diversos indicadores sociais, o principal objetivo declarado do Bolsa Família é de curto-prazo: aliviar a situação de extrema vulnerabilidade e pobreza de milhões de famílias brasileiras. Sendo esse, portanto, o principal ponto que devemos avaliar ao considerar a qualidade dessa política.

Como nos mostra o coordenador da Divisão de Análise e Políticas de Desenvolvimento da ONU, Eduardo Zepeda, o programa iniciado em 2003 já em 2006 era responsável por uma redução de 12% no nível de pobreza da população e uma melhora de 19% na situação dos brasileiros extremamente pobres. A eficiência do programa não foi apenas no sentido de aliviar o nível de pobreza das populações vulneráveis mas, mesmo, de reduzir o número total de pobres no país. Em 2006 essa quantidade já tinha diminuído em 5%.

Junto com essa redução no número de pobres, é claro, o programa contribuiu para o fortalecimento de uma trajetória de redução das desigualdades, que foi iniciada com os programas de transferências sociais (embora menores, e menos organizados) anteriores. No início dos anos 2000 o Brasil começou a experimentar uma queda do índice de Gini, e, da queda da desigualdade de renda medida dessa forma entre 1995 e 2004, 21% é atribuída ao Programa Bolsa Família.

Para saber quantas famílias o programa beneficia nos dia de hoje e sua repercussão internacional, confira o post da semana passada nesse mesmo álbum!!! Para continuar acompanhando a discussão sobre os principais efeitos do Bolsa Família, e a análise de alguns mitos sobre o programa, confira nossos próximos posts nesse álbum, siga nossa página e fique de olho em nossa campanha!

https://www.facebook.com/events/2188635504691206/

Fontes:
“Evaluating the Impact of Brazil’s Bolsa Familia: Cash Transfer Programs in Comparative Perspective” – de Soares, Ribas e Osório (2010) e Zepeda (2006)